Book review: Viagem a Portugal by José Saramago


Viagem a PortugalViagem a Portugal by José Saramago
My rating: 4 of 5 stars

Loc 109:

Em Miranda do Douro, por exemplo, ninguém seria capaz de se perder.

Loc 156:

Aqui (Cacarelhos) diz Camilo que nasceu o seu Calisto Eloi de Silos e Benevides de Barbuda, morgado de Agra de Freimas, heroi patego e patusco de “Queda Dum Ano”, novela de muito riso e alguma melancolia.

Loc 227:

Eh em Azinhos, aldeiazinha perto (Mogadouro), que começa a nascer a paixão do viajante por este romântico rural do Norte.

Loc 240:

Em Castelo Branco, quinze quilómetros ao sul o ar parece ter passado por uma peneira de cinza, so na cor, que de pureza ate os pulmões estranham.

Loc 336:

O natural serial, estando em Bragança, ver o que a cidade tem para mostrar, e depois deitar as vistas em redor, pedra aqui, paisagem cola, respeitando a hierarquia dos lugares.

Loc 1894:

Ir ao Museu de Aveiro eh uma aventura. Tem como todos, suas horas de abrir e fechar…

Loc 2137:

Não faltam em Portugal povoações que parecem ter ficado a margem do tempo, assistindo ao passar dos anos sem mover uma pedra daqui para ali, e contudo sentido-las vivas de vida interior, ouve-se bater um coração.

Loc 2544:

Belmonte eh a terra de Pedro Alvares Cabral, aquele que em 1500 chegou ao Brasil e cujo retrato, em medalha, se diz estar no claustro dos Jeronimos.

Loc 2827:

Deu uma volta grande, escusada, passou por Almofala, que não tinha muito para mostrar, salvo o cruzeiro, a pequena distancia, no antigo caminho que os preferidos tomavam para is a Santiago de Compostela. Eh este cruzeiro um caminho de cruzes alçadas, adornadas com a vieira, símbolo da peregrinação, e motivos de liturgia.

Loc 3523:

Em Castelo Branco, todos os caminhos vão dar ao jardim do paco Episcopal.

Loc 3773:

O Convento de Tomar eh o portico, eh o coro manuelino, eh a charola, eh a grande anela, eh o claustro. E eh o resto.

Loc 3822:

Sao muitas aa voltas para chegar a Fatima. Ha certamente caminhos mais rectos, mas dos lados donde o viajante vem, com mistura de mouros e judeus, não eh de estranhar que tenha achado o percurso longo.

Loc 3883:

De Leiria não viu muito o viajante. Culpa sua, culpa do acaso, ou irremediavel necessidade, diga-o quem souber.

Loc 3903:

Começará, sim senhor, por ir a Batalha, e a seguir, por Sao Jorge e Cos, ira olhar Nazaré.

Loc 4005:

Estes são os túmulos de Pedro e Ines, os imortais amantes que esperam o fim do mundo para se levantarem e continuarem o amor no ponto em que os “brutos matadores” o cortaram, se tais continuações se toleram no céu.

Loc 4005:

Ja na Batalha o vistante mal se apercebe do vulto conjunto de D. Joao e D. Felipa, deitados lado a lado, dando-lhe ele a mao a ela, na figuração dos Bem Casados…

Loc 4111:

Santarém eh cidade singular. Com gente na rua ou toda metida em casa, da sempre a mesma impressão de encerramento.

Loc 4443:

Das Caldas da Rainha a Óbidos chega-se num suspiro.

Loc 4619:

O Convento de Mafra eh grande. Grande eh o Convento de Mafra. De Mafra eh grande o convento. Soa tres maneiras de dizer, podiam ser algumas mais, e todas podem se resumir desta maneira simples: o Convento de Mafra eh grande.

Loc 4663:

Todos os caminhos vão dar a Sintra. O Viajante ah escolheu o seu.

Loc 4689:

Explicar o Lacaio de pena eh aventura em que o viajante não se metera.

Loc 4839:

E de túmulos não falemos mais: o Mosteriro dos Jeronimos eh uma maravilha de arquitectura, não uma necrópole.

Loc 5704:

Que Évora fosse a que Giraldo conquistou, não eh o viajante capaz de imaginar. Quantos mouros havia para defender a cidade, não sabe.

Loc 5710:

Em Évora ha, sim, uma atmosfera que não se encontra em outro qualquer lugar; Évora tem, sim, uma presença constante de Historia nas suas ruas e praças, em cada pedra ou sombra; Evora logrou, sim, defender o lugar do passado sem retirar espaço do presente.

Loc 6479:

O fim duma viagem eh apenas o começo doutra. Eh preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu a, ver na Primavera o que se vira no Verao, ver de dia o que se viu de noite, com sol onde primeiramente a chuva caia, ver a seara verde, o fruto maduro, a pedra que mudou de lugar, a sombra que aqui não estava.

4* Ensaio Sobre A Cegueira
4* Viagem a Portugal
TR O ano da morte de Ricardo Reis
TR Baltasar and Blimunda
TR História do Cerco de Lisboa
TR Cain
TR The Elephant’s Journey
TR Terra do Pecado
TR The Cave
TR A Jangada de Pedra

One thought on “Book review: Viagem a Portugal by José Saramago

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s